Presidente da Fifa se defende após denúncias de favorecer City e PSG